E, no princípio....

E, no princípio....

Calma, não se preocupem que eu não vou contar a Bíblia toda. Vou contar um pouco da minha experiência quando iniciei a venda do sistema de reserva online que tinha acabado de desenvolver. Era o ano 2000, em que a maioria das pessoas tinha dificuldade em distinguir entre um endereço de e-mail e endereço de site. Eu perguntava: qual é o seu e-mail? A resposta começava assim: “é… www…….”. Duro, né? Bem, isso quando dava para conversar, pois na maioria das vezes era necessário explicar o que era reserva online. Todos (os que tinham site) achavam que já tinham reserva online, pelo simples fato de ter um site e poder receber aqueles formulários de consulta.

Mais difícil ainda era marcar uma visita. A maioria do pessoal de venda e de reservas dizia não necessitar “disso”. Aos poucos fui percebendo que havia uma grande resistência, posso mesmo dizer, um preconceito, pois principalmente o pessoal de reservas achava que perderia o emprego para o meio eletrônico. Não conseguiam ver um aliado na venda online, e sim um inimigo a ser combatido. Isso me foi dito claramente várias vezes. Uma vez, inclusive, na presença do dono de uma rede, que já utilizava o sistema, a chefe de reservas me perguntou: “quando isso estiver funcionando, o que é que eu vou fazer?”. E eu lhe respondi: um trabalho mais nobre do que preencher fichas de reserva ou responder e-mails….

É claro que havia também uns poucos entusiastas, gente em dia com seu tempo. E a um punhado deles – e a minha persistência – devo meu sucesso. Hoje, passados vários anos, com a difusão da internet, a banda larga, a chegada de concorrentes, todo o blá blá blá (no bom sentido) sobre reserva online, está muito mais fácil falar sobre este serviço. Hoje a maioria faz o site antes de inaugurar o hotel ou a pousada. E faz o correto.

Por outro lado, ainda hoje, por mais incrível que possa parecer, ainda há quem ache que o formulário no site seja reserva online. Dão ”um tapa” no formulário, colocando um calendário bacana, pedindo o preenchimento de vários campos, etc, e não confirma nada, nem poderia. E não é só em hotel pequeno. É incrível como é difícil mudar os conceitos na cabeça de certas pessoas.

Além da reserva online, temos hoje a total integração da reserva com o sistema de gestão, ou software de gestão, também chamado de PMS (Property Management System), o que faz com que o hoteleiro não fique preocupado com o gerenciamento da disponibilidade, e ainda evita uma série de erros humanos.

A palavra da moda, hoje, é inovação. Lá no ano 2.000 não se utilizava tão maciçamente esse termo, mas era isso que eu estava fazendo. Não foi mole. Mas valeu a pena. Hoje creio estar inovando novamente, de um jeito bem diferente, mas isso é assunto para um outro post.